Monkeypox - Varíola dos Macacos

Monkeypox: A varíola símia é motivo de preocupação?

Recentemente reportado, um surto de Monkeypox (Varíola dos macacos), nova zoonoses, vem recebendo atenção em diferentes países do mundo. Entenda!

Enquanto o mundo ainda não superou a pandemia de COVID-19, outra zoonoses vem trazendo preocupação. Conhecida popularmente como Varíola Símia ou Varíola dos Macacos, Monkeypox já está presente em mais de 30 países, no entanto ainda não é considerada uma emergência de saúde global pela OMS.

Entenda mais sobre o que é a varíola Monkeypox, seu surgimento, cenário atual e como evitá-la.

O que é a Varíola?

A varíola é uma doença contagiosa causada pelo vírus da varíola, um vírus de fita dupla do gênero Orthopoxvirus da família Poxviridae.

Transmitida por gotículas respiratórias ou por contato direto, o vírus da varíola se prolifera nos linfonodos regionais e em pequenos vasos sanguíneos da derme e na mucosa orofaríngea. Consequentemente, podem haver registros de infecções secundárias da pele, pulmões e ossos.

O vírus da varíola humana, chamado Smallpox, causou mais de 300 milhões de mortes no século XX, mas se tornou menos letal quando a vacina foi descoberta. Sua origem ainda é desconhecida, mas existem relatos da doença na idade média. 

Existem pelo menos duas cepas do vírus que afetam humanos, sendo uma delas a clássica, considerada a mais virulenta e a alastrim, menos virulenta. Os sintomas são semelhantes, como febre, cefaléia, intenso mal estar e dor lombar. O que as difere são os percentuais de taxas fatais.

Sem ocorrência desde 1977, a varíola humana foi considerada uma doença erradicada. Inclusive, em 1980 a vacinação rotineira foi oficialmente descontinuada.

Diferenças entre varíola humana e Monkeypox


Assim como o vírus Smallpox, Monkeypox é causada por um vírus de DNA de fita dupla, membro do gênero Orthopoxvirus da família Poxviridae (ou poxvírus).Porém, ambas apresentam estruturas distintas, principalmente na forma como afetam os humanos.

Enquanto a Monkeypox consegue infectar diferentes hospedeiros, a Smallpox é transmitida apenas entre seres humanos.

A varíola símia contém quadro de sintomas semelhante ao da smallpox e com o período de incubação entre 6 a 13 dias.

Como a varíola Monkeypox surgiu?

As primeiras observações da varíola Monkeypox foram em 1958 a partir de dois surtos de uma enfermidade semelhante à varíola em colônias de macacos mantidos para pesquisa. Devido a este evento, a doença ficou conhecida como Varíola dos Macacos ou Varíola Símia.

No entanto, a OMS está em processo de alteração do nome, uma vez que, além de não refletir a origem real do vírus, a nomenclatura é discriminatória.

Em 1970, houve o registro do primeiro caso em humanos, na República Democrática do Congo, acredita-se que seja disseminada por pequenos roedores e esquilos. Desde então, os locais com diagnósticos mais frequentes são em países da África Central e Ocidental.

Em 2003, nos Estados Unidos, cães-de-pradaria que foram importados da África como animais de estimação disseminaram o vírus Monkeypox (varíola símia). Com isso, mesmo sem mortes, existem relatos de 47 pessoas infectadas na época.

No entanto, desde maio deste ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) notificou o aparecimento de Varíola símia em outras regiões, por mais que não apresentassem relação epidemiológica direta com países onde endemicamente estes casos ocorrem.

Assista aula exclusiva com os médicos especialistas do Hospital Albert Einstein sobre o assunto.

monkeypox

Casos da monkeypox ao redor do mundo e transmissão

O primeiro caso no Brasil foi reportado no dia 8/06/22. Existem outros registros também na Europa e em diversas regiões do mundo, chegando a cerca de 1077 casos confirmados em 31 países.

A transmissão do vírus ocorre por contato próximo, entre humanos ou animais:

  • Transmissão zoonótica: a partir do contato direto com sangue, fluidos corporais, lesões cutâneas ou mucosas de animais infectados. Os hospedeiros incluem uma variedade de roedores e primatas não humanos.
  • Transmissão entre humanos: por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama, por exemplo.

Por isso, a melhor forma de prevenir a varíola é a vacina e o isolamento dos pacientes infectados, higiene das mãos após o contato com os hospedeiros e uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) aos profissionais da saúde.

Quais são os sintomas da varíola símia?

A resposta do corpo ao Monkeypox depende de cada indivíduo. Em alguns casos, é possível o aparecimento de erupções cutâneas que demoram entre 2 a 4  semanas para cicatrizar.

Além disso, outros sintomas podem emergir: 

  • Febre
  • Dor no corpo
  • Dor de cabeça
  • Dores musculares
  • Linfonodos inchados
Sintomas de Monkeypox - Varíola dos macacos
Principais sintomas de Varíola Símia (Monkeypox)

De forma geral, é considerada uma doença leve que apresenta baixa taxa de mortalidade. Porém, deve ser tratada com cautela em gestantes, crianças com menos de 8 anos, pessoas com sistema imunológico enfraquecido ou com histórico de eczema.

Diagnóstico e tratamento da varíola símia (monkeypox)?

O exame para diagnóstico pode ser realizado por teste molecular ou sequenciamento. Para isso, são necessárias as amostras das lesões de pele, como o fluido das vesículas, pústulas e crostas secas. 

A técnica molecular de Reação em Cadeia da Polimerase por transcriptase reversa(RT-qPCR) é o teste laboratorial mais frequente, mas não identifica a espécie. Os kits de RT-qPCR que detectam o OPXV ou especificamente o MPXV estão em desenvolvimento; os kits comerciais validados para PCR não estão amplamente disponíveis.

Por outro lado, o sequenciamento genético permite identificar a espécie do vírus da infecção. Exames como o Viroma, que sequencia e identifica todos os vírus presentes na amostra representa uma importante ferramenta no diagnóstico.

Não existe tratamento específico para Varíola Símia, mas são recomendadas medidas de prevenção da doença como: 

  • Isolamento dos pacientes infectados
  • Higiene das mãos, principalmente após o contato com infectados 
  • Uso de equipamentos de proteção individual para profissionais da saúde. 

Conclusão

A Monkeypox é uma doença leve e autolimitada, cujos sintomas mais comuns são dores de cabeça, febre, dores musculares, cansaço e lesões de pele que se iniciam como mácula e progridem para os estágios de pápulas, vesículas, pústulas e crostas.

O paciente também pode apresentar aumento dos linfonodos. Até o momento não houve relato de mortes relacionadas à infecção por este agente. 

Referências:

Manual MDS: Varíola

Butantan: Veja a diferença entre varíola monkeypox e varíola humana

World Heath Organization: Monekypox

Relacionados